postado por Rayanne Danielly em 16 maio 2012

Resenha: Estilhaça-me

     Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal.
     Nunca foi como as outras meninas de sua idade.
     O motivo - ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar. Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela. Todo dia era escuro e igual para Juliette, até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora. Adam ia atualizando-a de tudo. Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos.

Acabei de terminar de ler estilhaça-me e tinha que compartilha logo essa experiencia com vocês, foi incrível.
É uma historia de tirar o folego e com um enredo que nos prende do começo ao fim, Tahera Mafi escreveu um romance de estreia que é romântico e ou mesmo tempo selvagem, partes iguais .

  Uma leitura distópica / paranormal cujas palavras entram em sua mente, envolver sua alma e nunca mais sair. A historia Juliette é a mais triste que eu já li, mais foi muiiiito bom.
“Ninguém se importa com o fato de que eu não sabia do que era capaz. De que eu não sabia o que estava fazendo.” 
  Juliette a protagonista desta história é uma adolescente de 17 anos que foi excluída da sociedade por ter um dom que todos consideram com uma maldiçao, e agora ela esta presa à 264 dias em uma sela escura sem falar ou ver com ninguém. A comida e higiene são precárias, mas onde ela está ninguém liga para tais luxos. É de enlouquecer qualquer um, e ela si mantem no limite da sanidade. Ela é um pessoa muito boa, e por isso é muito injusto que ela tenha sido submetida a muita amargura e crueldade em sua vida jovem, mas em vez de deixar que a derrota esmagar o seu espírito, ela demonstra resiliência e determinação. Isto pode parecer estranho, já que Juliette não pode tocar em ninguém sem matá-los, mas confia em mim, você não irá se decepcionar nesse aspecto.

   ''Estou aprisionada há 264 dias.
Não tenho nada senão um caderno e uma caneta quebrada e os números na cabeça para me fazer companhia. Uma janela. Quatro paredes. Espaço de 1,48 m2. Vinte e seis letras de um alfabeto do qual não fiz uso em 264 dias de isolamento.
Seis mil, trezentas e trinta e seis horas desde que toquei outro ser humano.''

   No começo pensei que ela era doida mesmo, apesar dela dizer que não era (todo louco diz que não é louco), mas no desenrolar do livro agente vê que ela não é doida mesmo, só um grande candidata ao cargo. 
O livro já começa com ela pressa sozinha numa cela escura, sentindo falta de tudo aquilo que ela nunca teve (calor humano), e o que ela não esperava era que seus dias de monotonias estavam contados.
Um certo dia ele surge do nada.
   ''Meus olhos se abrem e a dois olhos, dois lábios, duas orelhas, duas sobrancelhas.
Contenho meu grito na urgência de dominar o horror paralisante que me toma os membros.
— Você é um ga-ga-garoto...
— E você é uma garota. Ele ergue uma sobrancelha. Ele se inclina, desviando-se de meu rosto. Ele força um riso, mas ele não está sorrindo. E eu quero chorar, meus olhos se desesperam, aterrados, lançando-se em direção à porta que perdi as contas de tantas vezes que tentei abrir. Eles me trancaram com um garoto. Um garoto.Deus!
Eles estão tentando me matar.
Eles fizeram isso de propósito.
Para me torturar, para me atormentar, para eu nunca mais dormir durante a noite. Seus braços são tatuados até os cotovelos. Na sobrancelha falta-lhe uma argola, que eles devem ter confiscado. Olhos azul-escuros, cabelos castanho-escuros, linha da mandíbula definida, físico forte e magro. Deslumbrante . Perigoso. Aterrorizante. Horrível.''
 Não podia ser mais diferente. Enfiaram um garoto muito lindo em sua cela, um garoto que ela já conhecia, um garoto que poderia muito bem matá-la.Ou terminar de enlouquece-la.
"Tentei a todo custo parar de pensar nele.
Tentei a todo custo esquecer o seu rosto.
Tentei a todo custo tirar da cabeça aqueles olhos azuis azuis azuis, mas eu o conheço eu o conheço eu o conheço já faz três anos desde a última vez que eu o vi.
Nunca poderia esquecer Adam.
Mas ele já esqueceu de mim.''

 Adam Kent, o garoto que ela viu apanhar do pai na entrada do colégio muito anos atrás. O único que esteve ao seu lado, mesmo silencioso, quando todos a ignoravam.
 Qual seria a intenção deles? O que aquele garoto tinha feito para ser trancafiado?
  Adam é quem Juliette sempre amou e no início você não pode decidir se você pode confiar nele, mas como a história se desenrola o seu mistério seja revelado e você não pode obter o suficiente. Seus momentos juntos queimar a página e seu coração. Além de ter um dos pares mais românticos.    Ai surge o vilão Warner,(um dos tiranos mais perversos que já tive o prazer de desprezar) que é quase da mesma idade que Juliette, mas é seu oposto. Ele é do tipo cego que só consegue enxergar seu objetivo. Cruel até o último fio de cabelo louro e totalmente obcecado pelas habilidades de Juliette e por ela também.
  Ele tranca Juliette em sua luxosa mansão-quartel e lhe dá vestidos bonitos, comida, cama e banho para que ela concorde em ser sua arma.
   Mas não vai tão fácil assim.
   Agora ela tem que escapar desse lugar antes que ''O Restabelecimento'' termine o que começou, e ela só pode confiar em Adam para ajuda-lá.

   O que distingue este romance dos outro que já li é a falta de virgulas, pontos e que algumas palavras riscadas que Mafi usou para demonstrar o turbulento diálogo interior de Juliette. No começo é um conceito estranho que leva uma pouco de tempo para se adaptar e, em seguida, você se encontra desejando estes pedaços de diálogo para poder entendê-la e vê o que faz com que ela prospere. O que também faz de Estilhaça-me uma leitura obrigatoria é o estilo de escrita Tahereh incrível, mas flui bem e tem uma qualidade lírica e poética que é inebriante. Além disso, o romance entre Adam e Juliette tem uma qualidade erótica que ao mesmo tempo inocente, que é bastante satisfatório. A única queixa que eu tenho em relação a este livro é a vibe do tipo X-Men para o final. 
 Mas foi um dos melhores livro que eu li, diferente de todos. Ameiiiiiii.
 Só posso esperar muito impaciente e sem fôlego pela continuação
.

 
Outra capas:






Book trailer:


1 comentários:

  1. Esse livro é ótimo!!
    Eu adorei... pena que vc não curtiu muito...

    beijoss
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir