postado por Rayanne Danielly em 01 julho 2012

Resenha: Delirio

   Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças.
   Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra.
   A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.
   Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança.
   Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado.
   Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona.
   Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?.



  Delírio é o primeiro livro da serie da autora Lauren Oliver e como vocês já sabem é um livro distópico, mas apesar de ser um livro distópico ele mais voltado para o lado romântico.
  A coisa mais marcante no livro é a forma com que a autora descreve o amor, como ela me fez sentir sobre isso e até em algumas partes me identifiquei com suas palavras.
  Antes de ler delírio eu li Estilhaça-me e apesar da historia da protagonista (Juliete) ser muito mais triste, foi em Delírio que senti vontade de chorar, com sua narrativa intensa me cativou e eu fiquei tão hipnotizada que   terminei o livro muito rápido.

   Lena era a menina certinha que nunca questionava, sempre submissa até conhecer Alex e começar a se questionar se tudo que ela viveu ate agora, era uma mentira e capitulo após capitulo ela vai se tornando mais forte, corajosa e independente.
  No desenrolar da historia a autora nos faz refletira através de sua narrativa que como eu já disse é tão intensa que até parece que estamos assistindo o que esta acontecendo, de tal forma que os sentimentos dos personagem são quase palpáveis.
  E de Delírio, apesar de ser uma historia fictícia, podemos tirar lições para nossa vida.

   Eu só não gostei do final e quando li a sinopse da continuação confesso que fiquei um pouco desanimada, mas tinha que acontecer alguma coisa para ter continuação e a esperança é a ultima que morre.
   Então gente é isso, para quem leu a mensagem é bem clara pronta pra ser posta em prática, mas para que não leu vale a pena conferir.
 
 Mas eu tenho um segredo.
 Você pode construir barreiras por todo o caminho para o céu e eu vou encontrar uma maneira de voar acima deles.
 Você pode tentar prender-me com cem mil armas, mas vou encontrar uma maneira de resistir. E há muitos de nós lá fora, mais do que você pensa.
Pessoas que se recusam a parar de acreditar.
Pessoas que se recusam a entender.
As pessoas que amam em um mundo sem barreiras, pessoas que amam no ódio, na recusa, contra a esperança, e sem medo.
Eu te amo. Lembre-se. Eles não podem tirar isso.

Outras capas:











0 comentários:

Postar um comentário