postado por Rayanne Danielly em 10 agosto 2012

Momento:

O momento: Oh! baby,baby! vai ser o momento romântico do blog, onde eu vou colocar algumas das parte que eu achei mais românticas em alguns dos livro que eu li.
   Aquelas partes de tirar o folego, que é sempre bom relembrar.

  O trecho de hoje vai seu do livro Fallen de Laure Kate, como eu ia deixar de fora um dos casais mais apaixonados dos livros, o amor deles atravessou os seculos e fascinou a todos nós.

– Você pode me mostrar. – Ela sussurrou.
  Ele sacudiu a cabeça. Mas os lábios dele ainda estavam tão perto dos dela.
  E a expressão nos olhos dele era tão fascinante. Era quase como se ele quisesse que ela mostrasse para ele primeiro.
   O corpo dela tremia de nervos enquanto ela ficava nas pontas dos pés e se inclinava em direção a ele.

Ela colocou a mão dela na bochecha dele e ele piscou, mas ele não se moveu. Ela se moveu lentamente, tão lentamente, como se ela estivesse com medo de assustar ele, cada segundo sentindo se petrificar. E então, quando eles estavam perto o bastante que os olhos dela estavam quase vesgos, ela fechou eles e pressionou os lábios dela contra os dele.
   O mais leve, como uma pena, toque dos lábios deles era tudo o que conectava eles, mas um fogo que Luce jamais havia sentido antes passou por ela, e ela soube que ela precisava mais que tudo de Daniel. Seria pedir demais que ele precisasse dela da mesma maneira, segurar ela nos braços dele como ele havia feito tantas vezes nos sonhos dela, retribuir o beijo esperançoso dela com um mais poderoso.
Mas ele fez.
   Os músculos dos braços dele circularam a cintura dela. Ele puxou ela até ele, e ela podia sentir a linha definida dos seus corpos conectando, pernas se enrolando em pernas, quadris pressionados em quadris, peitos arfando em sincronia um com o outro.Daniel a colocou com as costas contra o parapeito da passarela, prendendo ela mais perto dele até que ela não conseguia de mover, até ele ter ela exatamente onde ela queria estar.
   Tudo isso sem nenhuma vez quebrar a apaixonada ligação de seus lábios.
   E então ele começou a realmente beijá-la, carinhosamente a principio, fazendo sutis, adoráveis sons de selinhos no ouvido dela. E então longo e doce e ternamente ao longo da mandíbula dela e abaixando até o pescoço dela, fazendo ela gemer e jogar sua cabeça para trás. Ele puxou firmemente no cabelo dela e ela abriu os olhos para vislumbrar, por um segundo, as primeiras estrelas aparecerem no céu da noite. Ela se sentiu mais perto do céu do que ela jamais sentiu antes.
   Finalmente, Daniel voltou aos lábios dela, beijando ela com tanta intensidade, sugando os lábios inferiores dela, então esticando sua língua macia só até um pouco depois dos dentes dela. Ela abriu a boca dela mais, desesperada para deixar mais dele entrar, finalmente sem medo de mostrar o quanto ela ansiava por ele.  
   Para empatar a força dos beijos dele com a dela.
   Ela tinha areia na boca dela e entre seus dedos do pé, o vento salgado levantou arrepios em sua pele, e o mais doce, sentimento de fascinação derramava do seu coração.
   Ela poderia, naquele momento, ter morrido por ele.
   Ele se afastou e olhou para ela, como se ele quisesse que ela dissesse algo.
   Ela sorriu para ele e beijou ele delicadamente nos lábios, deixando os lábios dela perdurar nos dele. Ela não conhecia nenhuma palavra, não tinha maneira melhor de comunicar o que ela estava sentindo, o que ela queria.


1 comentários: