postado por Rayanne Danielly em 15 fevereiro 2013

#6


   Uma das portas já está aberta. Uma bandeja longa de metal se estende da entrada da porta como uma língua, e naquela bandeja está uma caixa transparente estreita cheia de água congelada salpicada de brilho azul. Flutuando imóvel no gelo, tão parada e silenciosa como a sala vazia, está uma garota.
[...]
O cabelo dessa garota é mais brilhante que os raios de sol da Terra-Sol capturados por um artista que Harley disse que era o homem mais genial que já viveu.
Me estico para tocar o vidro que se fecha sobre ela, e somente então percebo como está frio. Minha respiração está subindo em pequenas nuvens brancas. Meus dedos alcançam o vidro.
Olho para ela. Ela é a coisa mais bonita que eu já vi, mas também a mais estranha. Sua pele é pálida, de um branco quase translúcido, e não acho que seja apenas devido ao gelo. Coloco minha mão na parte de cima da caixa de vidro, acima do coração dela. Minha pele é uma sombra escura acima da luminescência da dela.
Across the Universe
Beth Revis


0 comentários:

Postar um comentário