postado por Rayanne Danielly em 14 junho 2013

#15

— Ah, acho que preciso estabelecer algumas regras básicas antes de a gente fazer isso.
 — Ah, é? — Me viro e olho para ele, curiosa.
 — Que tipo de regras básicas? Ele sorri. — Bom, primeira: meu carro, meu som; sei que não preciso explicar mais. Eu reviro os olhos.
— Então você tá me dizendo, basicamente, que vou ser obrigada a ouvir só rock clássico nessa viagem?
 — Ah, você vai acabar gostando.
 — Segunda — ele continua, erguendo dois dedos e ignorando completamente o meu protesto —, você tem que fazer tudo que eu mandar.
 Hã? Que história é essa? Seu sorriso fica ainda maior, maquiavélico até.
 — Você disse que confia em mim, então confie nisso também.
 — Bom, vai ter que me explicar melhor. Sério, sem brincadeira.
 Ele afunda no banco e cruza os dedos entre suas longas pernas abertas.
 — Prometo que não vou te pedir pra fazer nada doloroso, degradante, perigoso ou inaceitável.
— Tá, mas o que vai me pedir pra fazer, então?
 Estou completamente desconfiada dessa conversa. Ainda confio nele, admito, mas também estou um pouco apavorada agora, temendo algo como acordar com um bigode desenhado com canetinha. Ele dá uns tapinhas na minha coxa.
— Se isso te faz sentir melhor, você pode me mandar catar coquinho se não quiser fazer alguma coisa, mas espero que não faça isso, porque quero muito te mostrar como viver a vida.

Livro Entre o Agora e o Nunca.
J.A. Redmerski


0 comentários:

Postar um comentário